domingo, 4 de fevereiro de 2007

Carícias



Não receio que me olhes,
Não receio que me tentes,
Me rodeies,
Me empurres,
Me puxes...

Não te fujo,
Não te enfrento...

Abandono-me
Às carícias quentes
Que se apoderam do meu pensamento,
No brilho das armadilhas que colocas no céu!
Cruzo o teu olhar
E a tua pele,
Passo pelas tuas partículas
E entranho-me em cada poro
Do teu ser.

Afago-te o gesto,
Apodero-me do teu momento...
E consumida de desejo
Possuo-te a alma!

6 comentários:

António disse...

Olá, vizinha do lado norte!
ah ah ah
Li, apesar de não estar com muita disponbilidade mental para leituras, este teu lindo poema impregnado, como outros que já vi, de erotismo.

Em relação aos problemas do Blogger:
os tipos deveriam ter prolongado o período Beta, ou seja, o período experimental. Mas afinal os americanos também são burros. O Bush não é exemplar raro.
ah ah ah
Pelo que escreveste no meu post de "Socorro!" pareceu-me que tinhas percebido o parecer dos tipos do Blogger, pois referiste que tinha de ser por tentativas.
Confesso que não percebi nada do que ele escreveu e, a serem tentativas, quais são elas?
Referes também que nunca tiveste opção de letra. Pois então sempre tiveste este problema.
Aliás, logo após ter feito o upgrade, verifiquei que as opções eram as mesmas que tinha no velho e, só depois de uma avaria do hospedeiro (Blogger), é que desapareceu a opção que sempre usei - Compose.
Enfim!
Já tenho a cabeça que mais parece um poste.
ah ah ah

Beijinhos

António disse...

Ahhhh...
Esqueci-me de dizer que gostei do teu poema.
Como gostei de outros que li.

Beijinhos

Claudia disse...

mais um excelente poema:)

António disse...

Não me conheces, querida amiga!
Tenho muito gosto no blog e não quero usar letras diferentes.
Enquanto não resolver o problema não tenho cabecinha para escrever.

Beijinhos

last_prophet disse...

parabens pelo poema, gostei particularmente da parte final :)

Escorpiana Explosiva disse...

adorei a poesia q peço permição para copiala e xpor no meu blog se for possivel é claro bjo.