quinta-feira, 19 de abril de 2007

Escrita

Lês-me a alma inquieta,
Passeias sobre a minha pele macia,
Percorres o meu querer
E traças o meu sorriso
No desassossego de cada carícia.
Guio-te as mãos na procura das minhas formas,
Alvoroço-te os sentidos
No calor da paixão
Que a ponta dos teus dedos anima,
E adivinho os teus anseios
Nas letras da palavra saudade!
Procuro-te em cada uma,
Sonho-te nas vírgulas da minha vida
E escondo-me nua
Na seara do meu desejo!
Sonhas-me em abraços de ilusão ,
Possuis-me em cada texto que te deixo
E transpiras devaneios
Sob lençóis de papel,
Gozando em amplexos escondidos em cada linha!
Estremeces em cada afago de vocábulos,
Beijas os meus lábios de silêncio
E escutas o amor gemendo nas entrelinhas!
Toco-te com fonemas e grafemas,
Perfumo-te de segredos
Num orgasmo de saudade!

4 comentários:

Escorpiana Explosiva disse...

LINDAS PALAVRAS NEM SEI O QUE DIZER A NÃO SER Q ADOREI MUITO E CHEGO NA HORA EM Q EU MAIS PRECISAVA LER ALGO ASSIM.BJO

poetaeusou disse...

/
Toco-te com fonemas e grafemas,
/
j
/

António disse...

Querida Goreti!
Como já tinha comentado no post do "Thinking Blogger Awards", hoje vim ler este teu poema.
É bem ao teu estilo!
Forte, erótico, com as plavras certas nos lugares certos.
E sempre gostosos de ler.
Quero também agradecer-te o comentário à 1ª parte das aventuras e desventuras do Reinaldo, o tímido e azarado.
É um texto frio mas aquela realidade é assim mesmo.
Eu diria que é ainda mais gélida.

Beijos meus

Dionísio Dinis disse...

Inquietas as almas ou as palavras, no percurso do poema podemos repousar em sonhos e devaneios, e com raro sentido do tempo poético , somos levados no caminho de sentirmos já o verso fervente, em sábias palavras que nos conduzem à catarse!

Dionísio Dinis