terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Nada

Nada

Chove-me no sonho
A tua ausência...
Cansa-me a saudade...

Quero-te na voz doce,
Nos braços carinhosos,
Na pele quente que não chega!

Calo os beijos que não te dou,
Os lençóis que não aqueço,
As lágrimas que não choro...

Convido o nada para o amor,
Deito-me com os momentos que perdi,
Molho o chão da paixão
E afogo-me nas cascatas da paixão que não sei!

3 comentários:

Mário Margaride disse...

Parabéns! Belo poema! Tens agora que começar a divulgar o blog.
Aqui tens o endereço do meu.
Para se quiseres por o link.
http://avano2006.blogspot.com (Canto poético)

Dionísio Dinis disse...

Um nada cheio de tudo,um belo manusear das palavras.Bravo Poetisa!

Nilson Barcelli disse...

Li praticamente todos os teus poemas que publicaste até hoje neste blogue.
Cantas o amor como poucos.
Gostei da tua poesia, escreves muito bem e é agradável ler-te.
Parabéns poetisa do amor.
Beijinhos.