terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

Mais perto



Na voz rouca do mar,
Escuto o teu sussurro,
Personagem de ti
Com poder mágico de te evocar!

Forças desconhecidas de almas despedaçadas
Unem cada elo codificado
À deriva no Cruzeiro do Sul!

À frente dos nossos olhos
Aparecemos feitos de loucura
Em momentos criados no vazio da noite
Numa solidão repleta de nós!

Falamos com as estrelas,
O vento e a lua,
Ouvimos o riso das gaivotas e das piranhas...

Aí,
Longe de tudo,
Somos...
Mais perto de nós!

9 comentários:

rui disse...

Olá,

Tenho a confessar que gostei muito do poema.
O ambiente focado é algo que me é sensível.

Beijinho

Mário Margaride disse...

Não sei se mais perto...ou mais longe de nós...

Beijinhos

Fallen Angel disse...

Tão perto que quase te tocas.

Mas continuas apenas a vislumbrar-te ... e a tocar os outros com as palavras.

Papoila disse...

Olá:
Este pedaço..."Forças desconhecidas de almas depedaçadas
Unem o elo codificado
à deriva no Cruzeiro do Sul!" diz-me tanto neste momento.
Lindo!
Beijo

poetaeusou disse...

mais longe.
na passagem.
entre a lua.
e as estrelas.
com a gaivota.
feita vento.
pipilipando.
a voz da solidão.
descodificada.
por nós.
perto do mar.
bjs

Diário de um Anjo disse...

"Longe de tudo mais perto de nós"...por vezes é preciso estar longe para nos vermos a nós próprios...

Peste disse...

lindo poema, Parabéns, adorei

Samantar Mohi disse...

Curti bues os versos...mesmo a sério...e porque também adoro embarcar a 2 numa solidão cintilante, louca e disforme onde tudo assume os reais traços que nos unem...aí é deixar-nos consumir alimentando a carne morta que o sol apodrece...aiai...

Passa pelo meu blog...

João Cordeiro disse...

Da próxima , prometo que te irei visitar... mulher do Norte.