sexta-feira, 9 de fevereiro de 2007

A minha noite

Solto-me em visões,
Confesso-me em mistérios
De lua Cheia...

Procuro-te entre o Tempo,
Em nebulosas que desconheço,
Numa intensidade de sussurros,
Em mudos apelos!
E no céu que te ofereço
Sopro letras e palavras
Cúmplices dos meus lábios!
Passeio-me sobre um amor
Feito de melodias insensatas,
Centelhas de desconhecido
Fechadas num mundo que não conheço...

E, no início de nós,
Encontro-te na eternidade
De um luar
Aberto sobre a terra,
No céu da minha noite sem estrelas!

8 comentários:

João Cordeiro disse...

És senm dívida um expoente da poesia.
Parabéns. Adorei.

http://www.sonhadoremfulltime.blogspot.com/

last_prophet disse...

excelente a parte final :D

o alquimista disse...

Gota a gota chora o ceu ao entardecer, floresce a terra, eclode a vida...acontece a magia...

Mágico fim de semana...


Doce beijo

Escorpiana Explosiva disse...

Linda poesia fiquei encantada com teu lar.A lágrima do céu muitas vezes pode ser nossa alegria aqui na terra.


Um abraço.

Dionísio Dinis disse...

Bebe-se palavra a palavra, como se de um precioso néctar se tratasse, saboreia-se cada verso, cada poema, como a verdadeira essência da poesia!O meu forte aplauso!

rui disse...

Olá,

Gosto da apresentação do teu blog.
Tens aqui muito trabalho e, bom, muito bom.

O poema está lindo.
É caso para dizer, "solto-me em visões".

Que tenhas um lindo fim-de-semana

Beijinho

Natalie Afonseca disse...

Olá!!
Por aqui passei e decidi deixar um fio da minha teia!!
Gostei muito do poema!!
E viva as palavras!! :)**

poetaeusou disse...

Visões misteriosas,.
cumplices do Luar.
xino)