sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Demónio

Meu demónio interior
Onde vais?
De onde vens?
Não te queria demónio,
Mas que importa?
Talvez te agrade mais o calor deste Inferno...
Não é outra a vida que me dás!
Da tua ausência,
À tua fuga,
À tua não presença!
Porque fugiste?
Eu serei o teu Inferno se assim queres,
O teu céu, se o desejares…
Serei tudo
E serei nada…
Pela tua vontade,
Pelo teu ego,
Enorme,
De quem não sabe o Mundo,
Quero-te mesmo assim…
Vem…
Eu espero…

10 comentários:

António disse...

Querida Goreti!
O "demónio interior" faz falta.
É também uma força que ajuda a viver e sobreviver.
Mas ele volta!
Ele volta!

Beijinhos

Olhos de mel disse...

Não importa o nome que a ele dá. Se faz bem a companhia... Viva e seja feliz!
Bom fim de semana!
Beijos

Conceição Bernardino disse...

Olá Goretidas,
Obrigada pelo convite e não estás a ser atrevida e sim amiga.
Será um enorme prazer entrar nesse site.
No que poder ajudar conta comigo.
Um beijo enorme
Obrigada
Conceição

rui disse...

Olá Goreti

É sempre bom entregar-me na tua escrita cativante.

Que tenhas um lindo domingo

Beijinho

Olhos de Mel disse...

Oie minha amiga, você está construindo outro blog? Obrigada pela confiança. Mas estou com dificuldades no momento. Eu teimosamente venho aqui publicar alguma coisa e visitar meus amigos, mas o médico ainda não me liberou, tenho evitado abusos. Por causa da cirurgia. Mas quem sabe após esse período? Me fala depois sobre isso.
Boa semana pra você, viu?
Beijos

Vera disse...

"Eu serei o teu Inferno se assim queres,
O teu céu, se o desejares…
Serei tudo
E serei nada…"

Lindo amiga!

Beijo grande

maria madrugada disse...

Olá Goreti

Muito obrigada pelo convite deixado no meu blogue. Por motivos vários, tenho produzido muito pouca letra e tenho andado um pouco afastada das lides virtuais dedicadas à escrita. Em suma, não tenho participado activamente e não vislumbro mudanças para já. Assim, os meus escritos e a minha colaboração não constituirão contributos à altura de um espaço que se quer (parto do princípio) fervilhante e com qualidade, porque certamente o merece. Uma vez mais, agradeço o convite e despeço-me até qualquer dia com letras.
Um beijo. E força nas teclas-canetas.

poetaeusou . . . disse...

*
vida demoniaca,
esta,
e a outra
e,
sem fuga possivel
*
xi
*

O Árabe disse...

Belos versos, amiga! A verdade é que entre demônios e anjos nos dividimos... e só assim nos sentimos vivos! :)

Jorge Bicho disse...

o demónio tenta-me sempre na tua poesia. a intensidade do que escreves deixa-me sem fôlego. Acho que percebo a tua linguagem e por isso me inquieta e me absorve.
By the way, já fui ao escritartes mas não percebi bem a metodologia. Qd puderes explica-me melhor.

beijos
JB