quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Âncora

Onde foste?
Quem és?
Não sei ...
E pensei que sabia!
Engano!
Não te conheci, apenas te tive!
Ilusão!
Não tive senão o teu corpo,
Lindo,
Fogoso,
Só instinto…
Rebelde, insensível, inconstante…
Fizeste do meu mundo a tua âncora de um dia…
Zarpaste e não sei do navio que te levou!
Na praia deserta da minha desilusão
Continuo olhando o horizonte e o mar imenso,
Vazio…
Não te sei senão nesta miragem!
Quando chega a realidade,
Nada és!

8 comentários:

Tiago disse...

Conheci agora o teu blog. Muito boa a tua poesia, obrigado.

Sei que existes disse...

Por vezes pensamos que conhecemos os outros e nem sempre é assim...
Beijos

Olhos de mel disse...

Oie menina! O mundo está cheio dessas personagens. E quanto nos machuca! Espero que fique bem!
Bom fim de semana!
Beijos

António disse...

Olá, Goreti!
Desilusão...muito bem pintada com as tuas palavras.

Beijinhos

Assim disse...

VERSO(S)
vou à realidade,
a tua poesia
é âncora!

Bjs
F
http://www.recantodasletras.com.br/autores/Francisco

Natalie Afonseca disse...

Hum...amei!!
Por vezes, a nossa âncora somos nós próprios!!! :))))))))

Já visitei Escritartes....:)))
Quando tiver tempito resgisto-me e deixo algo lá;)

Bwijinhos

Olhos de mel disse...

Oie passei por aqui e deixei beijinhos e votos de uma semana feliz!

Isa&Luis disse...

Olá,

A vida está repleta de encantos e desencantos.

Gostei de te ler!

Sexta feira é dia de festa no virtualrealidade,dois anos de felicidade, vem participar da nossa alegria.

Jinho!

Isa