quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Eu te odeio... eu te amo...

Eu te odeio, homem,
Por ti, mulher ofendida
Por ti, mulher de outrem
De ti esquecida

homem, eu te odeio
Pela mulher que usas
Sem carinho nem receio
Quando dela abusas.

Eu te odeio, macho,
Pelo amor que não dás,
Pela paixão que te não acho,
Pelas tuas palavras vãs.

Macho, eu te odeio
Pela fúria com que tocas
Da mulher, seu seio,
Em certas horas loucas.

Eu te odeio, Ser letal,
Com toda a convicção
Do que meu corpo, gelo e sal,
Sente ao toque de tua mão.

Eu te odeio, Ser horrendo,
Com furiosa paixão.
Amor e ódio vão sendo
Hastes de um só diapasão!

Eu te amo, Homem,
Por cada mulher acarinhada,
Diferente das que sofrem
Porque bem amada!



Homem, eu te amo
Por cada Mulher que fecundas
Sem raiva nem engano,
Duas almas juntas!

Eu te amo, Ser viril
Com minha alma de Mulher,
Flor do mês de Abril,
Pétala de malmequer.

Eu te amo, Ser de mel,
Lírio puro de veludo,
Quando toco tua pele
E meus lábios pedem tudo!

Eu te amo, Homem,
Ser íntegro, verdadeiro,
Amante, amigo também,
Homem... por inteiro!



http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

21 comentários:

multiolhares disse...

Em tudo existe dualidade
E os sentimentos não fogem á regra

Beijinhos
luna

Pena disse...

Linda Amiga:
Sente-se poeticamente narrada a dicotomia sentida Amor/Ódio.
Atitude franca, sincera que coloca dúvidas no sentir de si.
Um poema arrebatador pela singularidade do sentimento e do pensamento que descobre o Ser Humano masculino viril, mas que que é punido, em partes, por uma violência de macho poderoso.
Pura e linda sensibilizade feminina que tudo conquista com doçura, encanto, pureza e compreensão.
Gostei muito. A vida é feita desta maneira.
Como homem, muito homem, não sinto o amor desta forma, mas ela existe, é real e vivida por vezes desta forma.
Sempre a lê-la atentamente e com imensa estima.
Beijinhos amigos puros

pena

Farinho disse...

O amor e o ódio andam sempre juntos...

Bonito poema.


Beijos

Berro d'Água disse...

Uma boa leitura do masculino...

Obrigada por tua visita!!!
Cris

António disse...

Minha querida!
Desde que tens postado aqui "quadras", este é o melhor poemas feito com elas.
Digo eu, claro!

Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
amor-ódio
,
ódio-amor
,
é amor,MGD, é amor,
,
conchinhas
,
*

efeneto disse...

Hoje, não deveria ter acordado.
E começa a ser ridícula toda esta impossibilidade de opção.
Alguém nos perguntou se queríamos ter nascido?
A resposta agora também pouco interessa.
Mas hoje, eu deveria ter direito a dizer que não, não me apetece abrir os olhos e ver um qualquer pormenor magnífico, um qualquer momento raro.

Hoje nada me delicia e muito menos sacia.
Mas alguém me dá o direito de não ser eu por 24h?
De nascer para uma qualquer vontade maior longe deste corpo morto e fétido?

Devia poder dar-me esse direito, esse propósito.
Mas desde quando o que deve ser o é de facto?
Raras são as vezes e sempre pouco oportunas.


Então deixem-me dormir...E amanhã de manhã, ao primeiro raiar do sol, perguntem-me baixinho:

- " Então pequeno, sempre quer nascer hoje para o mundo? "

Quem sabe talvez assim, com jeitinho, se levante a força e se cerrem os punhos para a batalha constante da vida e para a guerra eterna que mora em nós.
Mas de certo nasceria novamente para lhe desejar um fim-de-semana com aquilo que mais deseja.

Até amanhã.

Isabel-F. disse...

um belo poema ...

muito bem trabalhados estes dois sentimentos ódio/amor ... que muitas vezes se tocam...


beijinhos e bom fim de semana

Oliver Pickwick disse...

Um poema muito interessante. Um modo criativo de versar acerca do limiar da famosa fronteira entre o amor e o ódio. Parabéns, querida amiga!
Beijos!

Maria Laura disse...

A linha que divide o amor do ódio é tão ténue... E os homens (como as mulheres) são seres mistos de bem e mal.
Gostei muito do poema.

Bichinho disse...

Beijo fantasma.

Sei que existes disse...

Não suporto o primeiro tipo de pessoa que descreves! E igualmente amo o segundo tipo...
Beijocas grandes

AURORA ( LOLA ) disse...

Eu te odeio, homem,
Por ti, mulher ofendida
Por ti, mulher de outrem
De ti esquecida

homem, eu te odeio
Pela mulher que usas
Sem carinho nem receio
Quando dela abusas.

Eu te odeio, macho,
Pelo amor que não dás,
Pela paixão que te não acho,
Pelas tuas palavras vãs.




LINDO AMIGA, POESIAMGD porque será que sempre andam juntos o ódio e o amor ou o amor e o ódio e como dizia a minha mãe quando se odeia esse odio pode se trasformar em amor mas quando o amor se trasforma em odio então já não à nada a fazer, adorei bjs

Luana disse...

e tão contraditório é o amor...

um beijo doce

Bruxinhachellot disse...

O amor e o ódio sempre andam juntos. Podemos amar e odiar um outro ser na mesma medida.

Beijos de Nova.

Daniel Aladiah disse...

E aqui temos o que é normal... mas se pensarmos em amor, o ódio não tem de ser necessariamente o outro lado.
Um beijo
Daniel

Isa&Luis disse...

Olá menina,

Belo o teu poetar...uma corrente de sentimentos e emoções ao rubro.

Gostei!

Beijinhos

Isa

efeneto disse...

Queria ter sido um príncipe
Desencantado de alguém
Queria uma paixão passageira
Um amor delinquente
A total desilusão do depois.
Queria ser o sonho frustrado
O homem errado
Queria não ser o alguém que conquista
Pela palavra bonita.
Queria apenas que o seu fim-de-semana
Fosse aquilo que sonha ser.

Um beijo de amizade.

AURORA ( LOLA ) disse...

É o mistério da busca, do desejo, do amor, da tristeza, da saudade, da paixão...do desespero, da esperança e... principalmente da Paz!





HUM...nada de novo por aqui voltarei outro dia bjs e um bom fim de semana.

AURORA ( LOLA ) disse...

Estão a mandar virus para os blogs
Não clique no nome de uma pessoa que tenha também à frente a dizer HERE que faz parte do comentário.Estou devidamente protegida mas quem não tiver o pc nas mesmas condições pode ter graves problemas, por isso o melhor é apagar esse comentario não va abrir sem querer e o melhor é avisar todos os seus amigos que tem no seu blog.

multiolhares disse...

deixo um beijinho de bom fim de semana
luna