quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

Envelope


Entrego-me ao momento,
Instante que rouba o sonho;
A alma encontrada se perde
Nas premissas impostas…
Livre na ilusão,
Solta no sonho,
Vazia de lógica,
Perde-se na solidão do Mundo
Onde tudo é sentido e razão!
Caminho à procura da Eternidade,
Perco-me na imortalidade de sentimentos
E os meus sentidos,
As minhas esperanças,
Perdem-se,
Transposta a porta para o mundo…
Ali podíamos,
Feitos de nada,
Deixarmo-nos guiar pela luz
De encontros nado-mortos…
Procuro a chave para regressar…
A estrada tornou-se outra,
Esburacada e íngreme,
Apenas se deixa percorrer pelo silêncio e saudade!
Envolvo-me em sentimentos inconfessos,
Encontro-te nas dúvidas,
Enlaço-te nas incertezas,
Caminho ao lado dos receios…
Fecho-me num envelope
Perfumado de ti,
Preenchido de palavras,
De sonhos,
Passes de mágica inventados noutros tempos!
A ti o remeto…

8 comentários:

Claudia disse...

lindissimo texto..
revi-me em algumas coisas..
E porque é que não foste ver o SAw? ainda vais a tempo..

Diário de um Anjo disse...

Fechar-se num envelope..gostei da metáfora:-)))

yohanan disse...

:)
espero que recebeas a resposta...
p.s: bigada pela tua visita ao meu espaço.
bjinhos**

António disse...

Olá!
Tenho alguma dificuldade em comentar poesia, portanto não sei dizer muito mais para além de que gostei deste poema onde utilizaste muito bem as palavras, sobretudo na criação de imagens para expressar o teu estado de espírito.

Obrigado por teres comentado o meu texto que pretende ser um "thriller psicológico", colocando a protagonista da história com um medo psicótico que a levou a ter ilusões e alucinações.
Este fenómeno é muito vulgar em crianças.
Penso que poderá ser de interpretação um pouco mais difícil do que os outros textos que eu tenho escrito.

Beijinhos

Alexandre disse...

«fecho-me num envelope perfumado de ti...»

LINDO!!!

Tal como a Cláudia, também me revi em muitas partes deste poema...

Beijinhos!!!!

hierra disse...

Lindissimo o texto...e honra seja feita a este brilhante envelope que corre o mundo sem precisar de selo...

o alquimista disse...

No encanto das tuas palavras me envolvo...lindo...

Nesta noite estrelada, do meio do atlantico bem na margem da lagoa...acontece o feitiço...


doce beijo

António disse...

Olá!
Como já tinha comentado este teu post, agora só quero agradecer o tua visita aos "pestaninhas" e perguntar:
Vizinho?

Beijinhos