domingo, 21 de janeiro de 2007

Laboratório


Dei voltas ao mundo,
Caí,
Levantei-me,
Cresci...
Já me não sabes,
Já me não conheces.
Carreguei sobre o meu dorso
Sacos repletos de mágoa...
Saquetas de humilhação...
Panfletos de despeito...
Passei o umbral da tua porta
E tu tiveste pressa em fechá-la...
Lançaste fora a chave que eu continuo a procurar!
Chamei-te do fundo do abismo,
Não me ouviste,
O grito era surdo...
Escrevi-te cartas de amor
Numa alma vazia;
Não as leste,
As folhas não possuiam palavras...
Pousei nos teus ramos,
Caí,
Eles não estavam lá...
Fui voluntária no teu laboratório da vida,
Tomei doses maciças de vacina anti-tu,
Não possuiam quaisquer antigenes,
O meu corpo não produziu anticorpos,
Adoeci...
Curei...
E cresci!

5 comentários:

Conceição Bernardino disse...

Divinal


Amigo,
Parte integral de liberdade
Alguém com quem saboreamos tudo
Expulsamos o preconceito, ambiguidade
A quem oferecemos o olhar mudo
Amigo,
Não importa quem és,
De onde vens
Se estás presente ou ausente!
Amigo,
Alguém que sinto
Que está sempre comigo...

Conceição Bernardino
Tenham uma boa semana com muito amor

Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com

Diário de um Anjo disse...

As quedas fazem parte do crescimento!!! Os bebés quando estão a aprender a andar também caem muitas vezes...e nós mesmo em adultos damos os nosso trambulhões. É preciso é tentar ver, depois da tempestade o lado positivo...

António disse...

Olá!
Como é que dizia aquela canção dos anos 40 ou 50?
"Penas de amor...quem as não tem?"
(se não era assim era parecido)
Conseguir superá-las é um trabalho hercúleo mas que vale a pena para nos devolver a vida.
Obrigado pelo teu comentário ao meu post do gato-ladrão.
Eu também gosto muito de gatos.
Especialmente com arroz de forno e batatas assadas.
Hummmmm....que bom!

Beijinhos

António disse...

Não me digas que és vegetariana!
E comes rosas, cravos e camélias?
eh eh

Beijinhos

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Que posso eu dizer se os meus olhos não falam!
Transmitem emoções, a essa beleza inconfundível
Que as palavras me transmitem
Aqui estou eu para te dar o meu gesto de carinho
Soberbo...

Conceição Bernardino