domingo, 14 de janeiro de 2007

Invenção


Em sonhos te inventei...
Procurei-te,
Construi-te
À imagem de cada vazio da minha alma.
Cruzei-me contigo
Num Universo que não sei
E ele nos juntou.
Quando na folha branca do destino
Te sentaste,
Ao lado do meu sonho,
Desenhaste nele o amor que não tinhas,
Acariciaste as minhas fantasias
E dissolveste as minhas certezas;
Aqueceste cada recanto de mim
E sorriste-me em dedos hábeis;
Reencontraste-me na alma
E acreditei no mundo dos meus segredos!
Numa ilusão de eternidade
Pairei sobre uma quimera...
A minha magia desafiou a consistência da verdade,
A minha fantasia suplantou a realidade...
E não te encontrei!

4 comentários:

Diário de um Anjo disse...

A alma gémea não se inventa nem se idealiza encontra-se e sente-se...

Afrodite® disse...

ela visita, adorei teu blog e tuas poesias... volte sempre.
bjo grande!
afrodite

}}cleopatra{{ disse...

Olá!
Magnífico poema este!!
Inventaste um sonho e acreditaste nele... ciente de era apenas e só, um sonho...

"Quando na folha branca do destino
Te sentaste,
Ao lado do meu sonho..."
...
...
...
"A minha fantasia suplantou a realidade...
E não te encontrei!"
Isto é lindo!

Beijinho soprado

Dionísio Dinis disse...

Uma invenção transbordante de poesia!Gostei bastante!