quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Nebulosa

Dança comigo uma dança de estrelas,
Rodopia no espaço interestelar,
Escolhe, agarra uma delas
E vem amar!

Quero ser a tua Via Láctea,
Dar à luz milhões de estrelas vivas,
Encher até aos bordos a galáxia
Das nossas vidas.

Numa nebulosa ser tua supernova
Ou, quem sabe, o teu pulsar,
Poder ser hoje e amanhã prova
De teu sonhar.

No Infinito do Universo andar
De mãos dadas com a vida à solta,
Um Mundo de amor criar
À tua volta!

13 comentários:

vida de vidro disse...

Lindo, este teu poema! Tenho que voltar para te ler mais. **

Vera Carvalho disse...

A verdadeira criação do amor!Lindo, numa rima perfeita!

Sei que existes disse...

Um lindo poema de amor!
Beijo grande

Olhos de mel disse...

Que lindo convite. Encantador seu poema!
Beijos

António disse...

Olá, Goreti!
Outro poema incomum.
Não tem a força de outros que de ti tenho lido mas tem a leveza de um corpo na imponderabilidade.

Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
Numa nebulosa ser tua supernova
*
recomeço
*

efeneto disse...

Quero ter direito a comer um gelado em dia de chuva, quero ter direito a poder empurrar a bicicleta ao invés de pedalar, quero ter direito de olhar para o céu, mesmo que seja no meio da mata, quero rebolar na relva, mesmo que seja a relva do Palácio de S. Bento, quero ter direito de rir alto, bem ALTO, mesmo que esteja sozinho a ver o desenho do Pica-Pau que já era velho quando eu nasci, quero ter o direito de cantar uma música bem alta junto com o cd player oferecido, mesmo que seja uma música do Zé Cabra, quero poder discutir filosofia com o analfabeto do meu colega, mesmo que seja nos 15 minutos de intervalo do trabalho, quero poder beber com os amigos e voltar tri-bêbado para casa. Se para poder fazer isto tudo lhe tenha que desejar um bom fim-de-semana, então aqui vai:
Lhe desejo a si e aquém mais gostar/amar um óptimo fim-de-semana, com aquilo que sempre desejou acompanhado da minha amizade. Um beijo a quem é de beijos e abraço a quem é de abraços. Para quem não quiser nada disto, passe bem que eu também…efeneto.

(abençoado sentimento que escreve estas palavras, parabéns...um beijo.)

efeneto disse...

...olá amiga. è só para desfazer um engano, o blog onde agradeceu é um blog que eu tenho partilhado com amigos e o poema que leu não é meu é de um dos colegas do blog, o meu blog pessoal é o "Grito do poeta"...beijo amigo.

Oliver Pickwick disse...

Olá, Maria Goreti! Obrigado por visitar minha página, assim como, pelo seu comentário gentil.
Acabei de ler Nebulosa, linda poesia. Cosmologia e amor, da parte da cosmologia, nunca a ciência me pareceu tão comovente.
A propósito, pegando carona em uma de suas estrelas, vou cantarolorar um pedacinho de uma velha canção: "Fly me to the moon
Let me sing among those stars
Let me see what spring is like
On Jupiter and Mars".
Pra você.

Paula Martins disse...

Olá Goreti, descobri o teu blog no Luso Poemas e resolvi visitar-te, adorei este poema, está divinal!
Parabéns também pelo teu blog.

Beijinhos
Paula Martins

O Sibarita disse...

Ai esse seu coração transposto em palavras que dizem e porque dizem do amor...

bjs
O Sibarita

Sol da meia noite disse...

Uma dança de estrelas!!!
Neste poema viajei...
*

T u r t l e M o o n disse...

é das melhores metáforas de amor assim descritas...adorei!bjs